Comunidades da “Verde Para Sempre” iniciam extração sustentável de madeira

Nos dias 04 e 05 de agosto, as comunidades da RESEX “Verde para Sempre” se reuniram para avaliar o início da safra, iniciada em julho. A colheita de seis planos de manejo florestal sustentável fornecerá ao mercado 13 mil metros cúbicos de madeira legalizada,  desse total quatro mil são certificados.

A extração é resultado de um esforço institucional de várias entidades de apoio, mas principalmente do trabalho de seis organizações comunitárias locais. Em  julho de 2016 elas constituíram o Grupo de Gestão Florestal para discutir estratégias de operacionalização e comercialização da madeira.

O plano inicial foi somar o volume de produção comunitária e dividir os custos operacionais e logísticos. O objetivo final é facilitar o diálogo com o segmento empresarial e garantir os benefícios financeiros a todas as famílias envolvidas nas operações de extração florestal.

Atividade

No encontro de agosto o grupo traçou um planejamento dos próximos passos, considerando a realidade das comunidades (veja abaixo demais resultado da atividade). Além disso, foi apresentado  a plataforma de compra e venda da madeira do Instituto BVRio –  uma organização cuja  missão é promover o uso de mecanismos de mercado para facilitar o cumprimento de leis ambientais e apoiar a economia verde no Brasil.

Resultados

  • Calendário atualizado da colheita florestal para a safra de 2017;
  • Constituição de orientações e critérios para a formalização dos acordos para contratos de compra e venda da madeira,  aluguel de maquinário, e parceria entre associações e cooperativa no âmbito Termo de Execução Descentralizada (TED);
  • Consolidação dos regimentos internos para o funcionamento operacional do plano de manejo florestal. O ponto principal foi criação dos Fundos para uso dos rendimentos da produção, garantindo recursos de custeio para a safra seguinte.
  • Definição de estrutura de gestão para a operacionalizar o plano de manejo pelas comunidades (elencou-se os critérios e perfis do coordenador geral, coordenador de campo e coordenadores de equipe).

Troca

São grandes os desafios para implementar as estratégias pensadas coletivamente. Vão desde habilidades técnicas a capacidades gerenciais. Contudo a troca de experiências com os moradores do Arimum tem sido muito importante nesse processo, uma vez que a comunidade, que dá nome a um dos rios da RESEX, está na sua quinta área de extração madeireira, sendo a primeira com certificação FSC.

Muitas capacitações já foram realizadas junto às comunidades. “Agora é o momento de experimentar na prática as estratégias pactuadas, e garantir os momentos coletivos de avaliação, planejamento e troca de informações”, comenta Katiuscia Miranda, coordenadora de projetos do Instituto Internacional de Educação do Brasil (IEB).

Esforço coletivo

A articulação e animação do Grupo de Gestão Florestal é feita pelo IEB em conjunto com o Comitê de Desenvolvimento Sustentável de Porto de Moz (CDS). Além disso, outros parceiros participam e somam esforços importantes para o sucesso das atividades na ResEx: o Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio), o Instituto Floresta Tropical (IFT), o Serviço Florestal Brasileiro(SFB), a Universidade Federal do Pará (UFPA) e o Serviço Florestal Americano(USFS).

Comunidades negociam produção

Comunidades negocial produção de madeira em Belém

Lideranças de seis comunidades da Reserva Extrativista “Verde para Sempre” reuniram ontem, 23, com representantes da empresa Belém Florestal, para negociar a compra e venda da madeira dos planos de manejo comunitário.

São mais de 12mil m³ de madeira manejada, dos quais 4.700 m³ possuem o selo de certificação FSC. Prazo, valor e condições de pagamento foram discutidos e pactuados no encontro. Ambas as partes estão dispostas a desenvolver o manejo florestal de forma sustentável.

A iniciativa tem apoio de diversas instituições como o CDS, IEB, IFT, ICMBIO, SFB, Ufpa, USFS, Imaflora.