O OBSERVATÓRIO

Ao redor do mundo, a imagem da Amazônia é constituída a partir de seus diferentes potenciais: extrativista, biotecnológico, hídrico, energético, turístico e de prestação de serviços ambientais para a estabilidade do planeta. Para que tudo isso sobreviva aos impactos do desmatamento, é preciso que a própria região reconheça e fortaleça um dos seus mais importantes potenciais: o de produzir com sustentabilidade. Segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon), no ano de 2016, o desmatamento voltou a crescer no Pará, alcançando 21% do território, o que equivale a 3 mil quilômetros quadrados. Somando as últimas três décadas, os números do desmatamento marcam 263 mil quilômetros quadrados de floresta derrubada, área superior ao território do estado de São Paulo.

É nesse contexto e, acreditando na prática do manejo florestal como uma alternativa eficaz para utilização responsável dos recursos naturais, que nasceu o Observatório do Manejo Florestal Comunitário e Familiar (OMFCF). A iniciativa articula diversas organizações da sociedade civil, institutos de ensino, pesquisa e comunidades, com a missão de promover o manejo florestal como uma estratégia relevante, consistente e viável para a sustentabilidade da região amazônica. Nesse sentido, busca contribuir para a valorização e garantia dos direitos e dos modos de vida de agricultores familiares, povos e comunidades tradicionais da Amazônia, além da construção de um modelo de desenvolvimento ambientalmente sustentável e socialmente justo.

Missão

Promover o manejo dos recursos florestais, madeireiros e não madeireiros, valorizando e garantindo os direitos e os modos de vida de agricultores familiares e povos e comunidades tradicionais da Amazônia para a construção de um modelo de desenvolvimento ambientalmente sustentável, social e economicamente justo.

Princípios e Valores

  • O MFCF como prática conservacionista integrada à agroecologia, à soberania e à segurança alimentar;
  • O MFCF compreendido como instrumento de defesa dos direitos dos povos e comunidades tradicionais e agricultores familiares e dos territórios onde estão inseridas as Florestas Comunitárias;
  • Igualdade de gênero e valorização da juventude;
  • Governança participativa;
  • Protagonismo das organizações comunitárias;
  • Valorização de conhecimentos relevantes para as comunidades

Linhas de Atuação

  • Atuação em rede oferecendo insumos para balizar a tomada de decisão de comunidades, agentes públicos e privados e sociedade civil;
  • Incidência em espaços públicos frente a governos, comunidades, empresas e outros atores, com vistas a fortalecer o MFCF;
  • Influência em políticas públicas para garantir um ambiente propício ao MFCF, garantindo a defesa dos territórios comunitários;
  • Geração de conhecimento e disponibilização de informações e instrumentos que fomentem o MFCF;
  • Fomento e influência na realização de ações formativas por parte dos parceiros.
[[arrow_upward|]]